Será que dói?

Danilo César Antonio Santos ganhou o livro surpresa. Parabéns, Danilo por acertar o nome da cachorra: Magrela. E você, também quer ganhar um prêmio surpresa? Então, seja a primeira pessoa a me enviar o nome da moça de olhos cor de mel. Dica: três juntinhas, pule uma, duas irmãs, pule três e inclua a última … Ler maisSerá que dói?

MARIA TAGARELA

Ninguém acertou a pergunta do último Proseando. Segue valendo para quem for o primeiro a acertar. Ao ler o texto dessa edição, resolva e me envie o nome da cachorra sem raça definida. Dica: retire algumas letras do nome da cuidadora. Ganhe um prêmio surpresa: seja a primeira pessoa a enviar a resposta certa para … Ler maisMARIA TAGARELA

A SERIEMA E O SAPO

Aline Baptista ganhou o livro “Histórias de uma índia puri” ao responder o nome da dona do maltês: Vanessa. Parabéns, Aline. E você, também quer ganhar um prêmio surpresa? Então, responda quantos e quais são os animais que estão no texto abaixo. Há um escondido nos números 2, 3, 4 e 5. Envie a resposta … Ler maisA SERIEMA E O SAPO

Cachorrada

Fernando Cypriano ganhou o livro surpresa. Parabéns, Fernando! E você, também quer ganhar um prêmio surpresa? Então, decifre o nome da dona do Maltês. Dica: os números 22, 1, 14, 5, 19, 19, 1 associados ao alfabeto. Já sabe a resposta? Então, a envie ao WhatsApp 99735-0611. A primeira pessoa levará o prêmio. O maltês … Ler maisCachorrada

Restos Mortais

Alberto Wladimir Cardoso acertou (às 8h28) o nome da menina que foi levada ao circo: Aureliana. Agora é a sua vez de acertar. Qual o nome do cavalo de Tião? Dica: galope pelos países citados pelo marido. Se você for a primeira pessoa a enviar a resposta certa ao WhatsApp 99735-0611, ganhará um livro surpresa. … Ler maisRestos Mortais

No avesso

Ninguém acertou o nome do mendigo e do cão do último proseando. O nome do mendigo é JESUS e do cão, BIGODINHO: Dois títulos (BI). Meio ouro em inglês (GO/LD). Troque a consoante da casa do passarinho de Charlie Chaplin (NINHO – DINHO). Fica valendo o cordel “Saí-Azul, o amor que valeu a pena” para … Ler maisNo avesso

O CALOR DA HUMILDADE

Se você for o primeiro a acertar o nome do Mendigo e de seu cão, ganhará um exemplar do cordel “Saí-Azul, o amor que valeu a pena”. Envie a resposta para o WhatsApp: 99735.0611 O frio assoviava arrepiando a madrugada. Eu voltava do trabalho protegido por luvas, cachecol e casaco, na vã tentativa de suportar … Ler maisO CALOR DA HUMILDADE

OS BICHOS DANÇARINOS

Aos domingos, íamos à casa da vovó materna onde, depois do café da tarde, nos reuníamos na sala de estar para ouvirmos reminiscências. Ainda me lembro, muito bem, quando ela contou: – Eu era menina. O circo apareceu na cidade desfilando carretas, trailers e, numa pequena jaula, o agitado filhote de gorila. Soube depois que … Ler maisOS BICHOS DANÇARINOS

ACAMPAMENTO

A mirrada renda do pai era suficiente apenas para a subsistência familiar; por isso, o menino foi obrigado a trocar a festa de aniversário pelo acampamento no quintal e sessão de cinema, financiada pelo padrinho. Sendo assim, no fim daquela tarde outonal, ele e a mãe marcharam ao shopping, onde o único filme em exibição … Ler maisACAMPAMENTO

O DOMADOR DE PULGAS

O homem de bigode postiço -imitaçãodaquele usado por Salvador Dali – conferia itens na mala de couro. – Garrafa plástica com água e sabão. Confere. Fazedor de bolhas de sabão. Confere. Focinhos de ajudante. Confere. Varinha de domador. Confere. Caixinha com pulgas. Confere. Após a conferência, vestiu o macacão de dálmata, enfiou o gorro de … Ler maisO DOMADOR DE PULGAS

O ÚLTIMO PEIXE

Por culpa da pandemia, há meses não visitava o avô. Porém, finalmente, havia chegado o dia de matar saudades e mostrar sua evolução no futebol.Ao lado do pai, o menino de ferrugem no rosto e cabelo encaracolado, carregava bola nas mãos. Diante da casa amarela, o pai o pegou no colo para que tocasse a … Ler maisO ÚLTIMO PEIXE

Espelho, espelho meu

A solidão é capaz de elaborar paliativos bizarros. Dona Gorda (assim se autodenominava) era viúva aposentada com catarata acentuada nos dois olhos; sem filhos, sem irmãos, sem ninguém. Trabalhara como bióloga enfiada nos recônditos da floresta amazônica, estudando batráquios. O seu amor pela saparia resultou na adoção de inúmeros anuros. A casa que habitava possuía … Ler maisEspelho, espelho meu