Visão humanística da saúde

O homem, muitas vêzes conceituado numa visão reducionista como um ser fisiológico-psicológico, em função da sua história e das suas relações sociais, é inquestionávelmente um ser social. A Representação Social (R.S.) entendida também como verbalização das concepções que o ser tem do mundo que o rodeia, e , por ter um caráter dinâmico de processo, … Ler maisVisão humanística da saúde

ANTONIO CARLOS TEIXEIRA PINTO: O MAGNÍFICO TROVADOR DE NITERÓI

O inesquecível Guerra Junqueiro,glória da poesia portuguesa,escreveu:”O Poeta é como o sol:o fogo que ele encerra é quem espalha a luz nessa amplidão sonora,ilumina a terra é lava que produz a aurora”.No meio da trova,existem vários deles,comparáveis ao sol do poeta autor de “A velhice do Padre Eterno”.Merece destaque especial,na nossa modesta coluna,o Poeta-Trovador residente … Ler maisANTONIO CARLOS TEIXEIRA PINTO: O MAGNÍFICO TROVADOR DE NITERÓI

Filosofia – Para onde caminha?

Com o fenomenal avanço das Ciências, em especial, a Genética e a Biologia, muito se tem falado sobre o papel da Filosofia. Ela é necessária? Serve para alguma coisa? Sempre soubemos que a Filosofia já foi a rainha do saber, perdendo, na Idade Média, a sua hegemonia para a Teologia, recuperando a sua primazia nos … Ler maisFilosofia – Para onde caminha?

MESTRE DO EXISTENCIALISMO FRANCÊS

Um dos maiores nomes da Filosofia no século XX foi o filósofo francês MAURICE MERLEAU-PONTY,nascido em Rochefort-Sur-Mer ( 1908) e prematuramente falecido em Paris aos 53 anos de idade.Formado em Filosofia pela École Normale Supérieure de Paris em 1931,em 1952, alcançou o elevado posto de Catedrático de Filosofia no renomado Collège de France.Com outro filósofo … Ler maisMESTRE DO EXISTENCIALISMO FRANCÊS

À GUISA DE APRESENTAÇÃO

Na solidão de mais uma noite insone, leio os versos do estimado Professor – Poeta e Acadêmico – que foi Membro-Efetivo da Academia Pindamonhangabense de Letras ( Cadeira 19 ) – UGO NÓBREGA. Trata-se de uma obra escrita com a alma lírica de um Poeta que convida os leitores ao exercício do bem – querer, … Ler maisÀ GUISA DE APRESENTAÇÃO

FICÇÃO CIENTÍFICA: ALGUMAS REFLEXÕES

No mundo científico, Ciência é considerada a forma que exige raciocínio preciso ,dados exatos,onde a especulação sem base não é concebida.Ficção é criada pela imaginação,suas fontes são elásticas, a coerência que dela se exige diz mais respeito ao estilo,à qualidade literária, ao poder de emocionar o leitor.Entretanto,é difícil afirmar -se categoricamente que a Ficção Científica … Ler maisFICÇÃO CIENTÍFICA: ALGUMAS REFLEXÕES

ADOLESCÊNCIA E LUTOS

Nós, os considerados adultos, no mais das vezes, temos dificuldade de entender a Adolescência ( período da vida entre a infância e a adultície, compreendida entre os dez e vinte anos, segundo a Organização Mundial de Saúde ) e o que é comportamento normal na Adolescência. Esse processo é um modo inconsistente e imprevisível de … Ler maisADOLESCÊNCIA E LUTOS

POESIA: UM FATOR HISTÓRICO- SOCIAL

Os tempos hodiernos exigem, em relação aos idiomas, mais do que “Cultura da Língua e da Literatura Nacional”. Essa Cultura não deve ficar alheia aos assuntos que se relacionam com as vicissitudes e com os interesses da comunidade, uma vez que, como fator histórico-social que é, tem que aprofundar as suas raízes na terra e … Ler maisPOESIA: UM FATOR HISTÓRICO- SOCIAL

SCHOPENHAUER E REPRESENTAÇÃO

O Filósofo Alemão Arthur Schopenhauer ( 1788-1860) que teve grande influência de Platão,Kant e dos princípios budistas,por sua vez, inspirou Freud,Jung ,Nietzche, ,Beckett, Einstein e até o nosso Poeta Augusto dos Anjos e Machado de Assis..Formulou o seu pensamento a partir da Filosofia de Kant( 1724-1804) o qual colocara distinção dos FENÔMENOS ( o que … Ler maisSCHOPENHAUER E REPRESENTAÇÃO

O EU POÉTICO

Na construção dos textos, sejam contos ou romances, normalmente se estabelece uma diferença entre o autor que escreve o texto e o que narra a história; o autor ao não falar por si,cede a sua palavra ao narrador,assim como vemos diariamente nas novelas o autor deixar de ser ele para ser personagem. Na poesia, em … Ler maisO EU POÉTICO