Advogado perde três dedos ao abrir ‘carta-bomba’

O advogado Walmir Oliveira da Cunha, de 37 anos, foi vítima de uma “carta-bomba”, ao abrir um embrulho em seu escritório em Goiânia. Com a detonação do explosivo, perdeu três dedos das mãos. Ele passou por cirurgia e não corre risco de morrer. A motivação e a autoria do crime ainda estão sendo apuradas pela polícia goiana e a Ordem dos Advogados do Brasil informou que vai acompanhar as investigações. Para a entidade, ataques a advogados são “afronta direta à democracia”.

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste