Lembranças Literárias : Beijo de amor

Beijo de amor! Delícia esmagadora!
Vibras nas almas, de paixões ardentes,
como os divinos frêmitos ridentes
da terra, em flores, quando rompe a aurora!
Beijo de amor! Beijo mortal, embora!
É deste mundo o mais feliz dos entes
quem te colhe nos lânguidos, trementes
e rubros lábios da mulher que adora…
Supremo enleio, comunhão bendita,
que abraza o sangue, o pensamento agita,
e num minuto um século resume:
Tu és da vida o triunfal quebranto…
E ao mesmo tempo tens, – ó raro encanto! –
o odor de um fruto e o gosto de um perfume…

  • Luiz Guimarães, Folha do Norte (jornal local extinto), 21 de agosto de 1904
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste