Campanha contra Aids continua em Pinda

Colaborou com o texto: Bruna Silva
***
A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba, por meio do Departamento de Riscos de Proteção a Riscos e Agravos à Saúde, dá continuidade nesta semana às ações da campanha “Fique Sabendo”, que tem como objetivo conscientizar e prevenir contra o vírus HIV.
A campanha que se iniciou no último sábado (1º/12), no Shopping Pátio Pinda, com o estande para divulgação de informações atendeu aproximadamente 70 pessoas. E nas escolas da rede estadual de ensino, esteve presente com as apresentações de esquetes, continua atuando em Pindamonhangaba na luta contra a Aids.
De acordo com a Secretaria de Saúde, nos últimos cinco anos, houve um aumento de 24% na incidência da doença na cidade, o que constitui 118 casos diagnosticados. Na segunda-feira (3), a ação ocorreu na praça Monsenhor Marcondes, já nesta terça-feira (4), os agentes de saúde estarão no Cisas em Moreira César, e no Jardim Regina das 16 às 20 horas, na quarta-feira (5), das 8 às 12 horas será na praça central do Araretama, e das 13 às 16 horas, no Residencial “Bem Viver”, na quinta-feira (6), é a vez da sede da Prefeitura receber as ações durante todo o dia, e na sexta-feira (7) das 8 às 16 horas, no Centro de Especialidades Médicas.
Segundo a Secretaria de Saúde, atualmente Pindamonhangaba possui cadastrados 610 pacientes HIV positivo, que não necessariamente desenvolveram a doença. Com objetivo de frear o crescimento da contaminação pelo vírus, o diretor do Departamento de Riscos e Agravos à Saúde, Rafael Lamana, afirma que o melhor caminho é a prevenção e o conhecimento da enfermidade, por isso deve-se praticar sexo com preservativo, não compartilhar seringa por mais de uma pessoa e utilizar instrumentos que cortam ou perfuram devidamente esterilizados.
“Nos chama atenção a banalização e o uso indiscriminado do coquetel ‘anti-aids’ que é recomendado para uso após exposição indesejada – acidente com profissionais da saúde ou violência sexual – com o vírus nas primeiras 72 horas. O uso nos sugere a prática de sexo sem preservativo ou utilização de seringas ou objetos cortantes contaminados, acreditando que a prática se resume apenas em fazer uso do coquetel, porém há as complicações a saúde como danos ao fígado e aos rins, distúrbios gastrintestinais e doenças coronariana, bem como, social”, enfatiza Lamana.

  • Campanha “Fique Sabendo” teve início no sábado (1º/12)
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste