Editorial : Carnaval com responsabilidade

Período de diversão e festas, o carnaval é capaz de despertar e estimular emoções agradáveis, como a alegria. O problema é que, dependendo da intensidade desses sentimentos, temos dificuldade em analisar situações com calma, para tomar uma decisão responsável.

Excesso de consumo de bebidas alcoólicas,uso de drogas, relações sexuais sem proteção, mistura de bebida e direção, tudo isso acaba acontecendo nesse período de festas e dificulta a capacidade de julgamento.

O poder público faz sua parte, como vemos na edição de hoje do jornal, com a “Lei de Importunação Sexual” e a campanha para incentivar o uso do preservativo, por exemplo.

Porém, o dever de se cuidar é de cada um. Fazer uma escolha responsável é essencialmente saber medir consequências de curto e longo prazo.
A intensidade emocional do carnaval pode ser canalizada para atitudes boas ou ruins, e nessa época as pessoas estão mais expostas a comportamentos de risco. Uma ação impulsiva pode trazer consequências para a vida toda, como uma DST. O consumo de alguma substância desconhecida também pode deixar as pessoas vulneráveis e, por isso, expostas a alguma situação de abuso.

A melhor forma de se divertir no carnaval e ser responsáveis é fazer uma reflexão acerca do arrependimento e das consequencias que atitudes impulsivas podem trazer. Essa é uma pergunta que deve ser feita: ‘eu posso me arrepender disso depois?’.
Brinque, curta a folia, mas não faça nada para se arrepender depois. A Alegria também pode e deve ser responsável!

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste