Editorial : De olho nas oportunidades

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) tem se tornado a porta de entrada para as universidades em todo o País. Anualmente, milhões de estudantes em todo o território brasileiro participam do exame.
Junto a esses números estão as pessoas que têm interesse em trabalhar na aplicação das provas, buscando, principalmente, a contribuição financeira oferecida: são os fiscais; os aplicadores e os chefes de sala, todos remunerados.

Dentro deste quadro estão os certificadores do Enem – responsáveis por auxiliar os procedimentos de aplicação ‘in loco’. Como o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) não pode estar em todos os pontos de aplicação de provas, os certificadores têm entre suas responsabilidades observar o recebimento, a integridade, a guarda e a abertura dos malotes com as questões. Eles também conferem os procedimentos de aplicação, como a capacitação dos aplicadores no dia do exame e o início das provas.

Até o dia 7 de agosto, estarão abertas as inscrições para quem quer ser certificador. As vagas podem ser ocupadas por servidores públicos do Poder Executivo Federal e por professores das redes públicas Estadual e Municipal.

O cadastro deve ser feito no portal do Inep, e a formação mínima exigida do candidato é o Ensino Médio. A remuneração é de R$ 26,50 por hora trabalhada – para os servidores do Poder Executivo Federal –, e R$ 318 por dia para os professores. A atuação é de 12 horas por dia.

banner_acessoainformacoes
banner_portaldatransparencia
banner-prefeitura
banner-fundacao
banner-anuncie-aqui
banner-facebook
Desenvolvido por CMC Multimídia