Dia das Crianças – Pequenos leitores

Ainda sem sugestão de presentes para o “Dia das Crianças”? Que tal presenteá-las com um bom livro?

“Penso que o livro é sempre um convite e uma oportunidade de treino para o início da alfabetização. O livro pode e deve ser usado e explorado desde muito cedo”, afirma a psicopedagoga, neuropsicopedagoga e consultora educacional, Bruna Monteiro.
Ela explica que, hoje, os formatos e os segmentos literários são vastos, como por exemplo: ‘livros de banho’; que auxiliam no entendimento e no cuidado em relação às necessidades básicas e diárias – importantes para o desenvolvimento da criança –; obras que despertam a imaginação e a criatividade, auxiliando na ampliação do repertório linguístico; e as que abordam costumes e valores dentro do ‘universo fantástico do faz-de-conta’.
“A leitura começa antes de a criança se familiarizar com o livro. Pode ser em forma de cantiga; de conto; de trava-língua. Pode ser livros com figuras; de pano; de papel… Não importa! O que vale é a forma com que a família aborda o tema e desperta o interesse. Se a família tem o hábito da leitura certamente a criança terá, ao menos, o interesse para conhecê-lo”, ressalta Bruna.

Mil e uma obras

Atentas aos anseios das novas gerações, as editoras têm contribuído muito para agregar ao conhecimento delas, lançando obras literárias para a criança brincar ao mesmo tempo em que aprende. Entre os destaques estão títulos que trazem além da leitura e do treinamento da escrita, estímulo para os pequenos criarem e customizarem brinquedos, aprenderem a cozinhar ou a cuidar de suas próprias hortas, por exemplo.
Sobre o local ideal para ler, Bruna diz que: “aconselho aos pais a sempre criarem um espaço para despertar e incentivar o interesse dos pequenos em relação à leitura. Ter um ‘cantinho’ para fazê-lo, um tapete, um lugarzinho gostoso e aconchegante facilitará ainda mais e não precisa sempre ouvir a mesma história, a criança pode criar e explorar a partir das imagens”.

“A leitura deve ser um ato espontâneo, pois cada criança o faz no seu tempo e ritmo. Ler é muito mais do que codificar letras, sílabas e palavras: crianças devem aprendem a ler da mesma forma que aprendem a falar, de forma espontânea e de forma variada com diferentes gêneros textuais e em contextos diversos.”

Bruna Monteiro – Psicopedagoga, neuropsicopedagoga e consultora educacional

 

“A maior herança que os pais podem
deixar aos filhos é uma boa educação!”

  • Hoje, muitos livros infantis abordam alimentação saudável e como plantar seu próprio alimento
  • A leitura estimula a imaginação das crianças, promove o senso crítico, além de unir a família
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste