Vanguarda Literária : Diocesano: a Glória dos 75 anos

Por José Valdez de Castro Moura

* O autor é médico, mestre e doutor pela USP, professor universitário, Magister ad Honorem da Universidade de Bolonha, e Professor Visitante das Universidades de Bonn,  Munique, Colônia e Berlim (Alemanha). Professor Convidado da Universidade de Paris V (Sorbonne) *

 

Neste final de outubro e início de novembro de 2017, um dos mais tradicionais Estabelecimentos de Ensino do meu inesquecível Ceará, a Terra da Luz, o Colégio Diocesano Padre Anchieta de Limoeiro do Norte, a nossa decantada ‘Princesa do Jaguaribe’, completou com muita festa e emoção, os seus setenta e cinco anos de existência.
Concebido pela mente abençoada e profética do primeiro bispo da diocese, o saudoso D. Aureliano Matos, esse modelar colégio, um dos mais conceituados do Ceará e do Nordeste, ofereceu, ao longo do tempo, formação humanística e cultural a inúmeros jovens, hoje, cidadãos que marcaram e marcam presença nos cenários cearense e Nacional. Conduzido, com proficiência e saber, durante mais de cinco décadas pelo padre Francisco de Assis Pitombeira, o iluminado PADRE-MESTRE, este na sua missão humanizadora e evangelizadora, levou o querido Diocesano a contribuir, efetivamente, para a formação plena de cada criança e jovem, transformando-os em sujeitos da sua história, justos e solidários, competentes, críticos e atentos aos sinais dos tempos, receptivos às mudanças e abertos ao diálogo. Eis, resumidamente, o marco filosófico do nosso COLÉGIO DIOCESANO PADRE ANCHIETA, como Escola Cidadã, Cristã, Libertadora e Ética. Com esses princípios norteadores o velho Diocesano, mantém-se atuante, como forte referência educacional para todo Brasil.
Este momento de júbilo é, sobretudo, também de elevação de preces de gratidão ao PADRE-MESTRE (que recebe uma merecida e justa homenagem ao nomear uma importante Biblioteca no coração do louvado Diocesano), aos professores, funcionários e alunos de todas as épocas, que, construíram, com dedicação, esforço e amor, essa gigantesca Mansão de Cultura e de Paz. Casa do Saber, que, como o Mestre Jesus, deixando vir a si os pequeninos,os acolheu e, pela voz de seus Mestres peregrinos, a todos concedeu a mais edificadora e melhor lição. O momento de glória e de exaltação do inesquecível “Ginásio”, como é carinhosamente chamado por todos, dignifica a Grandeza do Magistério, elemento redentor da nossa Nação, atualmente tão abalada em seus alicerces morais e espirituais, Pátria Brasileira que atravessa a maior crise de valores da sua História.
Que o Divino Pai proteja esse templo venerando, no qual, anos a fio, sem cessar, a infância e a juventude do nosso progressista Limoeiro e da nossa Região Jaguaribana vêm rezando o rosário das Letras e da Cultura, fatores fundamentais que constroem, transformam e elevam o ser humano. Genuflexos e felizes, todos nós que tanto recebemos do DIOCESANO, oferecemos as flores do nosso imperecível agradecimento ao nosso colégio amado que carregaremos conosco até quando Deus o permitir, nessa nossa rápida passagem por esse planeta de dores e expiação.
Tua lembrança, Velho e sempre Novo Ginásio, é Luz e Lenitivo para os nossos corações! Ave! Este colunista também foi aluno do Diocesano. Deo Gratias!

  • Colégio Diocesano celebra Bodas de Brilhante
banner_acessoainformacoes
banner_portaldatransparencia
banner-prefeitura
banner-fundacao
banner-anuncie-aqui
banner-facebook
Desenvolvido por CMC Multimídia
Font Resize
Modo Contraste