Editorial : Energia limpa e renovável

É muito bom saber que o Estado de São Paulo tem potencial e viabilidade econômica para adotar o uso da geração de energia eólica em sua matriz energética. Agora, saber que Pindamonhangaba está entre as cidades com maior potencial para a geração desta energia no estado é uma excelente notícia. Isso porque o município conta com áreas de boa intensidade de ventos e pode ser opção para a geração de energia alternativa.
A afirmação foi feita pelo subsecretário estadual de Energias Renováveis, Antonio Celso de Abreu Júnior, esta semana, durante o pontapé das operações dos primeiros aerogeradores do Estado de São Paulo, na usina Engenheiro Sérgio Motta, localizada no município de Rosana, interior do Estado. Após dois meses de testes, a operação nesta região foi iniciada oficialmente. Nesse período as torres eólicas geraram cerca de 3 megawatts médios.
Ainda de acordo com informações do setor de Energias Renováveis, o Estado de São Paulo tem um potencial de aproximadamente 13 mil GWh, tendo um fator de capacidade médio de 31,3%.
Produzida a partir da força dos ventos, a energia eólica é gerada por meio de aerogeradores. Neles, a força do vento é captada por hélices ligadas a uma turbina que aciona um gerador elétrico. É uma energia abundante, renovável e limpa.
Aqui na região, além de Pindamonhangaba, Campos do Jordão e Guaratinguetá são cidades que têm potencial para a geração de energia eólica.

banner_acessoainformacoes
banner_portaldatransparencia
banner-prefeitura
banner-fundacao
banner-anuncie-aqui
banner-facebook
Desenvolvido por CMC Multimídia
Font Resize
Modo Contraste