Vanguarda Literária : LUMA ANDRADE: UMA VITORIOSA

Por José Valdez de Castro Moura

Professora Luma Andrade! À primeira vista, esse nome relativamente comum não desperta tanta atenção.Todavia, ao relatar a apaixonante história de vida desse ser humano, exemplo de tenacidade, perseverância e luta, os leitores serão conduzidos a um processo reflexivo sobre os marginalizados pela nossa sociedade, por vezes, cruel e extremamente hipócrita e discriminadora.
Ela, cujo nome de nascimento era João Nogueira de Andrade Filho, foi a primeira travesti a ter o título de Doutor pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) em 2012. Nascida em Morada Nova no interior do meu Ceará querido, filha de agricultores, sofreu violência física e psicológica desde a mais tenra infância. Decidida e corajosa, foi em frente, trilhando as sendas do saber, enfrentando toda sorte de dificuldades, cursou Letras na Faculdade de Educação Dom Aureliano Matos, da Universidade do Estado do Ceará (Uece), no campus de Limoeiro do Norte, meu inesquecível torrão natal. Fez Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente na Universidade Regional do Rio Grande do Norte. Prestou concurso público, com destaque, para professora da Rede Estadual do Ceará e, de novo o preconceito fechou as suas portas, por meio de diretores que alegavam não haver vagas para preenchimento. Buscando conquistar seu espaço para demonstrar conhecimento e capacidade, por meio de mais um concurso público,foi, com justiça e proficiência, Superintendente Escolar da Secretaria de Educação em Russas-CE, onde desenvolveu elogiado trabalho. Mas, não parou por aí. Enfrentou novo concurso para gestora educacional, realizando acompanhamento em municípios da região do Vale do Jaguaribe. Graças ao seu edificante trabalho no Ceará, a Universidade Federal do Cariri é a primeira Instituição de ensino superior a reservar vagas para transexuais e transgêneros a partir deste ano de 2018. Finalmente, Luma de Andrade, em 2010 conseguiu mudar de nome, algo mais do que justo nesse Brasil tão desigual.
Perdeu a mãe com câncer de colo de útero, e, em virtude disso, desenvolveu um projeto pra exame ginecológico na cidade de Aracati-CE, o qual ganhou um prêmio do Ministério da Educação. A Joana D´Arc cearense continua propugnando pelos direitos dos transexuais, travestis e transgêneros que sempre são excluidos da família, do trabalho e da convivência social, cujo único espaço são as ruas, e único meio de sobrevivência, a prostituição.
Está na hora da Grande Imprensa, da mídia, deixar de colocar em destaque os bandidos que pilham a nossa nação, os barões do tráfico, os políticos corruptos, os parasitas da sociedade, e colocar em destaque , com ampla divulgação, os que realmente dignificam o nosso país como a educadora Luma Andrade, honra e glória do Ceará e do Brasil.

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste