O aniversário da nossa Academia de Letras

Por Altair Fernandes Carvalho

Criada em 18 de dezembro de 1962 pela Lei Municipal 664, originada de projeto de lei de autoria de Paulo Emílio D’Alessandro (na época vereador), a APL – Academia Pindamonhangabense de Letras comemorou 54 anos de trabalhos em favor da cultura, arte e educação do município. A sessão festiva aconteceu na noite de sexta-feira (16), no Museu Histórico Dom Pedro I e Dona Leopoldina, reunindo acadêmicos e convidados.
Iniciando a programação do evento, coube ao acadêmico José Valdez de Castro Moura uma palestra referente à entidade ao longo dos anos de existência, sua atuação, seus membros e seu importante trabalho junto às administrações municipais.
Homenagens
Em seguida, a presidente da APL, Bete Guimarães, agradeceu a todos que colaboraram com a Academia de Letras, a auxiliando na realização de seus eventos. Foram homenageados a diretora do museu Karina Lacorte e os funcionários Flávio e Dionísio; acadêmica professora Rute Eliana; Rose Jabour (Revista Exemplar) e a professora acadêmica Jaqueline Bigaton Porto (Faculdade de Música Santa Cecília). Também foram lembrados os órgãos de Imprensa que durante o ano fizeram a cobertura das plenárias da APL: jornal Tribuna do Norte, Revista Exemplar, Portal R3, Blog de Entrevista do Ouverney e o Agora Vale. A APL agradeceu à Administração Municipal, prefeito que conclui seu mandato, e departamentos da prefeitura que a auxiliaram durante o ano que chega ao fim.
Ainda referente a homenagens, numa iniciativa do vice-presidente APL, Edmar de Souza, a presidente Bete Guimarães foi agraciada com um diploma de Honra ao Mérito contendo assinaturas dos colegas acadêmicos presentes à sessão festiva.
Reprospectiva
Para ilustrar a comemoração de aniversário, o acadêmico romancista e professor Ricardo Estevão de Almeida foi responsável pela exibição (slides) de uma retrospectiva com os melhores momentos da APL em 2016.
Projeto de poesia
Na sessão festiva também foi destacada a presença de Maria da Conceição Monte Vidal, da Pastoral Carcerária da Diocese de Taubaté. Maria da Conceição falou do projeto de poesia ‘Asas da Imaginação’, que tem o compromisso estimular a prática da poesia na Penitenciária Feminina II de Taubaté. Envolvidas no projeto, a presidente APL, Bete Guimarães, e sua coordenadora de eventos, acadêmica poetisa e arte educadora Neila Cardoso foram as responsáveis por levarem a poesia às mulheres atualmente privadas da liberdade, em maio último, com um concurso que premiou as autoras dos cinco melhores poemas sobre o tema ‘Mãe’.
Coral Jovem IA3
A programação foi encerrada com apresentações do Coral Jovem IA3 (coral do projeto Contraponto). Regidos pelo professor Luís Cláudio Oliveira, trinta afinados jovens presentearam o público presente com emocionantes números musicais, incluindo clássicos e populares. Em seguida acadêmicos e público presente se reuniram para o tradicional canto do ‘Parabéns a você’ com direito a bolo, salgadinhos e refrigerantes.
A mesa dos trabalhos foi formada pela presidente Elisabete Guimarães, vice Edmar de Souza, Presidente de Honra da APL Francisco Piorino Filho e acadêmico palestrante José Valdez de Castro Moura.

  • Maria da Conceição Monte Vidal, da Pastoral Carcerária, falou da importância do projeto de poesia ‘Asas da Imaginação’, realizado na Peninteciária Feminina de Taubaté
  • Acadêmico José Valdez discorreu sobre os 54 anos da APL
  • Coral Jovem IA3 sob a regência do professor Luís Claudio: A boa música ecoou no salão do palacete
  • Parabéns a você com direito a bolo, salgadinhos e refrigerantes
banner_acessoainformacoes
banner_portaldatransparencia
banner-prefeitura
banner-fundacao
banner-anuncie-aqui
banner-facebook
Desenvolvido por CMC Multimídia
Font Resize
Modo Contraste