Vanguarda Literária : O PADRE-MESTRE

Por José Valdez de Castro Moura

“É assim que se deve começar: com entusiasmo, estudo e dedicação!”. Essa foi a resposta ouvida por um jovem, que, aos 17 anos de idade, ministrava a sua primeira aula (de Português, no Curso de Admissão ao Ginásio), no Colégio Diocesano Padre Anchieta, quando interrogou o seu Mestre sobre a sua atuação carregada de ansiedade.
São decorridos mais de cinquenta anos! O adolescente em quem aquele sacerdote havia inoculado o “vírus“ do amor ao magistério continuou a sua jornada. Foi ganhar outras plagas. Graduou-se em Medicina com o objetivo de ser médico de crianças e… professor.
Principiou no solo bandeirante, exercendo o Magistério Universitário, através de sucessivos concursos e, após concluir as suas Teses de Mestrado e Doutorado, conquistou, a duras penas, com sacrifício pessoal e familiar, a láurea de Professor Titular de Pediatria e Adolescência em uma Escola Médica no Sul do Brasil. Partiu para outras plagas. Deu aulas na Sorbonne (França), em Berlim e Colônia
(Alemanha).
O Padre- Mestre permaneceu no seu duro e nobre mister, no ensolarado interior do Ceará, lá onde os legendários rios Jaguaribe e Banabuiu se abraçam, para, depois, unidos, inseparáveis, jogarem-se nos braços do mar, nas proximidades de Aracati. O Mestre de mãos abençoadas ficou formando gerações, cumprindo o seu destino na nossa querida cidade de Limoeiro do Norte, a Princesa do Jaguaribe. Chega agora ao seu nonagenário dedicado ao próximo, ao magistério e ao BEM.
O jovem de mais meio século atrás é esse modesto escriba. O Padre- Mestre (como assim o cognominou, com muita felicidade, o Monsenhor João Olímpio Castelo Branco no seu elogiado livro: “O Limoeiro da Igreja”), responsável direto pela formação intelectual e moral de inúmeros jovens da Terra do Sol chama-se : FRANCISCO DE ASSIS PITOMBEIRA.
PADRE PITOMBEIRA! Amigo, incentivador, entusiasta pela causa da Educação na terra que o viu nascer, só teve um ideal: servir, formar, conceder medalhas de incentivo, enfim, realizar-se nas realizações dos seus inúmeros discípulos! Humano, extremamente rápido nos movimentos e no raciocínio, severo no que diz respeito às questões do comportamento e da moral, senhor de vasta cultura, é um dos GRANDES HOMENS que fizeram e fazem a História de Limoeiro do Norte, a nossa terra idolatrada e inesquecível..
O PADRE-MESTRE pontifica nas nossas mentes e nos nossos corações, como o exemplo a ser seguido. Conosco ficarão as suas lições de humanismo, de que a pena investir no HOMEM e crer nas suas potencialidades.
Ao PADRE PITOMBEIRA, a quem tanto devemos, que a brisa da saudade seja portadora da nossa eterna gratidão. A esse SER VERDADEIRO, que honra o gênero humano, oferecemos humildemente as flores indestrutíveis do nosso sentimento fraterno!
PADRE PITOMBEIRA estará sempre PRESENTE nas nossas existências:

Na verdade que constrói,
Na altivez dos sentimentos puros,
Na palavra forte que emancipa,
Nos caminhos duramente construídos,
Na causa sacrossanta,
No verbo que perdoa e se levanta!

Ave, PADRE-MESTRE!

  • Padre Francisco de Assis Pitombeira
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste