Lembranças Literárias : Outono

Se te encontrasse um dia, nesse instante
eu te dissesse o que a nenhuma digo.
Frases comuns de amor: ‘sonhei contigo’,
ou ‘não posso viver de ti distante…’

Se fosses uma estrela cintilante
por uma noite azul de um luar amigo,
vendo as sombras atrás e a luz adiante,
eu diria? Basta, e nem prossigo!

Pois nos separa o abismo de uma aurora
e um crespúsculo! O amor, no ocaso, é tredo
para a mão que mendiga e o olhar que implora.

Melhor é amar assim, mudo, em segredo.
Para falar… não posso, é tarde agora!
Para esquecer-te? Ainda é muito cedo!…

 

Benedito Marcondes Cesar, jornal Sete Dias, 27/7/1952
(do livro Poetas de Pindamonhangaba)

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste