Lembranças Literárias : Pecadora

De penetrante olhar, altiva e sorridente,
flor a desabrochar em plena primavera;
era a beleza ao vivo e decididamente,
quisera para mim o seu amor, quisera!

Pecadora! Fingiste amar sinceramente,
com as juras de amor, transcendental quimera;
guardarei o calor daquele beijo ardente,
em aurora triunfal, maravilhosa esfera!

O nosso amor nasceu no auge do desejo,
e deveras senti o mundo rosicler
no instante em que me deste o prometido beijo!

E quando justamente este poeta sonhava
com a felicidade – ó formosa mulher,
atiras o “punhal” que o coração me crava!

 

Carlos Pinto, jornal 7 Dias, 27/11/1971

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste