Vanguarda Literária : PROBLEMAS X SOFRIMENTOS

Por José Valdez de Castro Moura

A preocupação com os problemas humanos, com o nosso planeta, cada vez mais agredido, é de responsabilidade de todos nós. Quando pensamos na origem deles, enxergamos que eles principiam em nós e se expandem. Convém salientar que, problemas antes circunscritos a uma determinada região ou povo, com a tecnologia e globalização, aumentam e se expandem cada vez mais.
Aqui surgem perguntas cruciais: o que dizer dos sofrimentos inevitáveis como o envelhecimento, as diferenças de opiniões, os conflitos, as denominadas contradições que geram enorme gradiente energético de forças, muitas vêzes antagônicas, às vezes se movendo em vários sentidos? Onde devemos procurar as possíveis soluções para enfrentar essas forças poderosas? Ora, conflitos e contradições são inerentes à condição humana, até mesmo para compreendermos que tudo isso faz parte do progresso da humanidade. Torna-se essencial entendermos que as nossas atitudes mentais ante essas forças é o que existe de mais importante! Tudo indica que, ao nos relacionarmos com elas, procurando manter o equilíbrio, sem atitudes hostís frente às situações e pessoas, possívelmente estaremos enfrentando, com inteligência e mais tranquilidade, o que nos faz sofrer. Buda falava que o sofrimento é igual às ondas do mar: vem uma e logo surge outra, indefinidamente. A questão importante é saber pular as ondas.
Nunca, na História da Humanidade se usufruiu de tanto conforto material (devido avanços, sobretudo da Ciência e da Tecnologia). Todavia aumentou o nível de sofrimento dos seres humanos. Não se trata de dizer que essas “comodidades” criam problemas (elas são úteis e práticas!). O que precisamos observar é que tudo vai ladeira abaixo, quando esses “confortos” fazem surgir os terríveis sentimentos de querer mais, da competição, que irão causar perenes insatisfações, sofrimentos inenarráveis, tudo isso produzido na nossa mente gananciosa, invejosa, consumista, que mina nossos sentimentos mais positivos. Daí entendermos que, nunca se produziu tantos medicamentos na área da Psiquiatria, meros paliativos que nos tornam dependentes da poderosa indústria farmacêutica que lucra bilhões de dólares com tudo isso. Nunca é tarde para salientar uma verdade: esses sofrimentos provenientes, sobretudo, das nossas preocupações, ânsia de poder, fama e dinheiro, trazem no seu bojo as depressões e suicídios que aumentam em toda parte da Terra. Não chegam os sofrimentos físicos? As doenças? Que, ao refletirmos sobre as contradições do mundo, surjam luzes para crecimento e consciência de que, ao procurarmos paz de espírito, por meio da prática do bem, desenvolvamos antídotos conta a raiva, a inveja, o desamor que nos fazem sofrer mentalmente e espiritualmente,cada vez mais!

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste