Vanguarda Literária : RECORDANDO BALTHAZAR: UM SONETISTA INESQUECÍVEL…

Por José Valdez de Castro Moura

A nossa coluna,reverentemente,evoca nessa data, a memória do maior Poeta da nossa cidade: BALTHAZAR DE GODOY MOREIRA,cognominado, com justa razão de :”Príncipe dos Poetas Pindamonhangabenses”. Esse homem extraordinário que na conquista do sobrenatural, ausentou-se do mundo efêmero e fatal, colocando nas asas da oração,a sua alma no céu,foi um poeta da melhor jaez e um educador emérito, distribuindo a luz do saber,no seu torrão natal,na sua brilhante carreira no magistério paulista. Aqui nascido em 1898, BALTHAZAR DE GODOY MOREIRA produziu magistrais sonetos, cantos maviosos e enternecedores à sua terra natal, como esse escrito em versos heróicos:

PINDAMONHANGABA
Esta é a cidade que o meu sonho encerra,
como uma sombra evocadora e mansa,
por essas ruas e arrabaldes erra
minha mais doce,mais feliz lembrança!

Meu olhar enamorado não se cansa
de vê-la; a igreja, os casarões, a serra…
E o Paraiba que aos seus pés reamansa
quando eu digo baixinho: Minha Terra!

Ela é o cantinho que eu mais quero bem;
o meu lar, meu abrigo, minha taba.
Sei que outras terras mais progresso têm.
E que muito mais ricas muitas outras são;
mas, uma apenas – Pindamonhangaba
cabe inteirinha no meu coração!

Esse poeta, que honra essa terra querida, produziu vários livros de caráter didático, como: ”Rio turbulento”, ”A caminho d’Oeste”, e o inigualável “Roteiro de Pindamonhangaba”, escrito em sonetos, no qual canta os recantos aprazíveis da nossa querida cidade, cidade bendita que guarda em cada canto uma memória, e, em cada canto uma saudade…
Os versos primorosos de BALTHAZAR DE GODOY MOREIRA, considerado o maior sonetista do Vale do Paraiba, proporcionam-nos inafáveis encantamentos, afastando-nos do efêmero desse mundo em direção aos esplendores da eternidade. São versos em que, esse ser iluminado pela presença de Deus, pensamento fito no céu, vaza a sua alma simples em estrofes de deleite e lirismo. São versos que têm o sabor de orvalho sobre as flores matizadas, ao clarão matinal das alvoradas.
Dessa maneira, temos a mais pura certeza de que, a poesia de BALTHAZAR DE GODOY MOREIRA, que partiu para um outro plano de luz, em 1969, saiu de uma alma pura, lírica, que acumulou cultura e erudição, alma santa embalada pela modéstia. É importante para todos nós , amantes da Cultura e das coisas boas da nossa querida Pindamonhangaba, jamais esqueçamos os grandes nomes que fazem a nossa História como o ilustre poeta que dignificou o seu torrão natal recebendo como recompensa a gratidão e a lembrança de todos nós.

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste