Secretaria de Saúde reforça vacinação contra a febre amarela no município

O reforço na campanha vem após a morte de homem que contraiu a doença e esteve em Pindamonhangaba

Colaborou com o texto: Bruna Silva
***
A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba, por meio do Departamento de Riscos e Agravos à Saúde – Vigilância Epidemiológica, disponibiliza mais um ponto de vacinação contra a febre amarela na cidade. A vacinação acontece nesta sexta-feira (30), na praça Monsenhor Marcondes.
A vacinação contra a doença será na sexta-feira (30), das 9 às 16 horas, na praça Monsenhor Marcondes; e também reforçará a campanha nacional contra o Aedes aegypti que atua em diversos pontos de Pindamonhangaba, contra a proliferação do mosquito. Já no sábado (1°/12), a campanha estará com o “Fique Sabendo”, no Shopping Pátio Pinda, das 13 às 20 horas.
Conforme informações do Departamento de Proteção a Riscos e Agravos à Saúde, o caso citado foi importado de Caraguatatuba, depois que um morador de Cunha contraiu a doença, na cidade do litoral. O homem passou alguns dias no Araretama e foi encaminhado para a capital do estado para receber o tratamento, mas não resistiu.
De acordo com Ministério da Saúde, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A febre amarela tem importância epidemiológica por sua gravidade clínica e potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti. E os sintomas são: febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.
A Secretaria de Saúde da cidade realizou ainda no início de 2018, a “Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela” em todos os postos da cidade. As pessoas que ainda não foram imunizadas podem procurar a unidade de saúde mais próxima para receber a dose de vacina. O diretor do Departamento de Proteção a Riscos e Agravos à Saúde, Rafael Lamana, explica que como este é um caso próximo a nós é importante manter-se imunizado, pois esta é a principal prevenção contra a doença.

Campanha contra o Aedes aegypti
Em Pindamonhangaba, neste mês, uma mobilização interna está ocorrendo nas secretarias e departamentos da prefeitura, por meio de exposição de estandes contendo exemplares do ciclo do mosquito, e também outros vetores de doenças, uma vez que o Aedes aegypti também é transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.
“A conscientização e a mobilização de todos são de suma importância no combate aos vetores de doenças, estamos em época de transição da primavera e verão, com calor e pancadas de chuvas, condições favoráveis à proliferação do vetor”, explica o diretor do Departamento de Proteção a Riscos e Agravos à Saúde, Rafael Lamana.
Desde janeiro deste ano, Pindamonhangaba soma 36 de casos de dengue, número igual ao mesmo período de 2017. Lamana afirma que com o resultado da densidade larvária (ADL) em 1,3 em outubro, e os altos índices na região do Vale Paraíba e Litoral Norte, aliado com a grande circulação de turistas, coloca a cidade em estado de atenção quanto à possível epidemia. Por isto, a população deve fazer vistorias em seus imóveis com olhar crítico a qualquer acúmulo de água, e denunciar locais em estado de abandono à prefeitura.

  • Vacina é principal meio de prevenção à doença
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste