“Semana Santa” incentiva aumento na venda e no consumo de peixes

colaborou com o texto:
Dayane Gomes

Em Pindamonhangaba, comerciantes e moradores dão início aos preparativos para a comemoração de datas festivas do calendário cristão. Tradicionalmente, a procura por pescados cresce nos dias próximos à “Sexta-feira da Paixão” e “Domingo de Páscoa”.
No cristianismo, o peixe simboliza a fé e a esperança em Jesus Cristo. Inclusive, os discípulos e os primeiros cristãos tinham o costume de presentear uns aos outros com o alimento como uma forma de comunhão. Hoje em dia, o hábito de consumir peixes tende a acontecer com maior devoção durante a Páscoa, data de celebração da ressurreição de Cristo, e o período de quarenta dias que a antecede, a Quaresma.
“Na ‘Semana Santa’ vem, praticamente todos os dias, reposição de peixe. A gente já deixa preparada a parte de filé para conseguir dar conta do atendimento”, afirmou Milton Ikeda, um dos proprietários de uma peixaria fixada no Mercado Municipal desde 1959. A expectativa do comerciante é de um crescimento em torno de 80% nas vendas, em comparação com a demanda do restante do ano. Apesar disso, Ikeda lembra que a comercialização já foi mais abundante. “Em comparação com vendas anteriores, agora, está bem fraco por causa da crise”, evidenciou.
Oficialmente, o “Domingo de Ramos” inaugura as solenidades da Páscoa e a tendência de busca por sardinha, tilápia e corvina acontece de quarta-feira em diante. Mas, José Luis Barbosa, de 55 anos, faz parte da turma que realiza as compras no começo da semana. Nessa segunda-feira (26), ele apanhou sua remessa de pescados. “Eu costumo comer peixe regularmente. Compro toda semana”, disse.
O morador do bairro Alto do Cardoso é católico e tem membros da família que são adeptos da Quaresma, a temporada em que os cristãos seguem um jejum em memória dos dias de penitência no deserto e dos sofrimentos que Jesus suportou na cruz. Além disso, ele conserva o costume de comer o tipo de peixe mais tradicional dessa época. “Normalmente, na Sexta-feira Santa, eu tenho a tradição de comer bacalhau”, reconheceu.

  • Peixaria do Mercado Municipal terá reposição diária para acompanhar a saída de produtos
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste