Lembranças Literárias : Teus olhos

Teus olhos terníssimos, tão vagos…
dois sóis lassos morrendo lá distante ,
são mais doces que os beijos, que os afagos,
da lua argêntea, pelos céus errante…

Esses teus olhos são dois mudos lagos,
onde percebo entre o esplendor vibrante,
uns longes de tristeza em seus divagos,
um céu de amor em sonhos , delirante !

São cristais burilados, esplendentes!
são gotinhas de orvalho lá da serra,
a brilhar, a brilhar entre os viventes!

Mas que mistério nesse olhar tão lindo!
Pois que, entre o terno e o vago que ele encerra
Teus olhos – tristemente – estão sorrindo!…

Benjamin Bueno Junior,
jornal 7 Dias, 31/1/1954

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste