Atletas do projeto “Rayane” são campeões do Pan-americano de Jiu-jitsu

Os atletas do Projeto Social Rayane, desenvolvido no bairro Maricá, foram campeões no Pan-americano de Jiu-Jitsu, realizado no domingo (9), no Ibirapuera, em São Paulo. O Departamento de Assistência Social parabeniza o projeto por mais esta vitória.
“Temos muito orgulho do ‘Projeto Social Rayane’. Junto com o prefeito Isael fomos conhecer o trabalho desenvolvido e entendemos toda a sua importância para a comunidade. Parabéns a todos os atletas e envolvidos”, parabenizou a diretora do Departamento de Assistência Social da Prefeitura, Ana Paula Miranda. “O Departamento de Assistência Social, na medida do possível, tem dado um olhar especial para este projeto tão importante”, afirmou.
O Projeto Social Rayane é destinado a crianças e a adolescentes, com o intuito de tirá-las das ruas e incentivar cada vez mais a prática do esporte, conhecimento e cultura, tendo como principais modalidades o jiu-jitsu, taekwondo, muay thai e danças urbanas (hip hop). Foi criado em 2005 na garagem da residência do professor Júlio Fonseca e começou como Equipe Fonseca com apenas cinco alunos frequentes nas aulas de taekwondo. Em 2012, foi acrescentada a modalidade de jiu-jitsu, com o apoio das equipes de Luiz Dagmar – Careca JJ (São José dos Campos), Pulga JJ e Marcos Monteiro – JD (Pindamonhangaba). Em 2014, foi feito o convite à tesoureira e responsável pelo Centro Comunitário do bairro Maricá, Regina Barbosa, para oferecer as aulas de jiu-jitsu e taekwondo no centro comunitário, com o objetivo de resgatar cada vez mais crianças das ruas e ampliar a quantidade de alunos na equipe. Assim, o projeto começou a crescer e a participar de campeonatos de jiu-jitsu no Vale do Paraíba. No começo, o projeto tinha apenas alguns tatames para realizar os treinos, mas graças ao Sensei Ronaldo Vieira (equipe Careca JJ) que emprestou algumas de suas placas, o projeto teve continuidade.

Homenagem

Em 2015, acontece uma grande tragédia com uma de suas alunas: Rayane Helena Souza Andrade de Oliveira, de apenas 8 anos de idade, e filha de Geison Andrade de Oliveira (vice-presidente do projeto) e de Elisabete Souza (secretária) – voltava da escola em sua bicicleta – quando sofreu um acidente fatal, que abalou os familiares e os moradores da região. Rayane já havia participado do seu primeiro campeonato, conquistando a medalha de ouro. Após o acidente, foi decidido junto à família e à diretoria, que seria solidificado o projeto e foi feita a homenagem, colocando o nome de Projeto Social “Rayane”.

  • Projeto, voltado para crianças e adolescentes, incentiva esporte, conhecimento e cultura
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste