Construindo Cidadania: Para quem se dobra o imperador?

Por Roberto Ravagnani

Começo com esta frase, que resgata a importância dos nossos queridos Professores. Desta vez dedico meu texto a eles, que inclusive, só por acaso, me ensinaram a escrever e a gostar de leitura, não tanto quanto gostaria, deveria e quero ler mais, mas eles me colocaram no caminho da leitura e do aprender tantos outros assuntos, que me colocam aqui hoje.
Mas o que de próximo tem os professores e o tema que trato com maior frequência aqui neste nosso bate-papo?
Simples, os professores são responsáveis pela nossa formação cidadã, não formação de valores, pois estes acredito que deve ser feita pela família, em casa, o professor tem papel fundamental, por isso no Japão o professor é o único que não precisa se dobrar em reverência ao imperador do país, pois assim se diz por lá, sem professores não existiriam os imperadores.
E assim é, sem eles, não existiriam os outros profissionais, salvo aqueles que são passados os ofícios de pai para filho, portanto precisamos valorizar e reverenciá-los não só no dia do professor, mas todos os dias.
Voltando ao nosso tema, os professores, na sua grande maioria, mesmo com toda carga de trabalho para ter um salário minimamente decente, se desdobram para fazer muitas outras atividades paralelas a sua atividade de sala e a sua formação, portanto não cabe aqui mais uma responsabilidade ao professor, mas, uma possibilidade de ferramenta para desenvolver os conteúdos já existentes, o trabalho voluntário.
É necessário prepará-los lógico, mas totalmente possível. No Japão, continuando a citá-lo como já o fiz no início, o trabalho voluntário faz parte das atividades diárias de alunos e pais, estes, os pais participam ativamente na gestão da escola e apoiam as atividades esportivas, cuidados com os jardins e experiencias com a natureza, entre outros. Os alunos participam da limpeza e da conservação das salas e ambientes comuns da escola. Com isso pais e alunos se interessam e valorizam o ambiente escolar, respeitam os amigos e professores e cuidam uns dos outros bem como da escola.
Assim deveria e pode ser feito em nosso país, ao inserir os alunos em diversas atividades dentro da escola como voluntários e a traves destes trabalhos voluntários, vem a aprendizagem cidadã, do cuidado com o outro, do não sujar para não ter que limpar, do tirou do lugar devolve ao mesmo lugar, do quebrou, arrumou ou pagou, entre muitos outros conceitos que podem ser passados de forma natural enquanto se exerce atividade voluntária, sem contar os outros mais naturais ainda, como o trabalho em grupo, liderança, fazer muito com pouco, etc.
Governantes, que tal pensarem nisso e colocar em prática nas escolas? No inicio vai dar trabalho e muita controvérsia, mas o tempo cura tudo, até mesmo a ignorância (de ignorar, não saber), que era possível com tão pouco.

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste