“Dia de Campo” aborda reprodução de gado de corte na região

A Aprocorte (Associação dos Criadores de Gado de Corte) realiza, neste sábado (13), o “II Dia de Campo da Fazenda Boa Esperança”, com o objetivo de promover um encontro entre especialistas e pecuaristas para discussão do desenvolvimento e tendências da pecuária de corte. O encontro é gratuito e será na Fazenda Boa Esperança, em Lorena, a partir das 8 horas.
A programação contará com palestras técnicas sobre temas ligados à reprodução de gado de corte, a fim de capacitar os produtores e criadores da região para produção de animais de qualidade; apresentação de bezerros de cruzamento Nelore X Angus, além de café da manhã e almoço. Especialistas abordarão temas como IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo), doenças reprodutivas, estratégias de cruzamento e saúde de vacas para reprodução.
Segundo levantamento realizado pelas Casas de Agricultura da região, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo (SAA), entre 2017 e 2018 as microrregiões de Guaratinguetá e Pindamonhangaba, que compreendem 39 municípios, produziram um rebanho bovino de aproximadamente 562 mil cabeças.
“Observamos que a pecuária de corte está se profissionalizando no Vale do Paraíba. Muitos produtores migraram da pecuária leiteira e o corte se fortaleceu, o rebanho vem aumentando não só em quantidade, mas em qualidade, pois os produtores tem se preocupado com gado com índice de qualidade, bezerros com aptidão genética para dar resultados, com o objetivo final de ganhar dinheiro e fazer um bom trabalho na região”, explica o engenheiro agrônomo da CDRS (Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável – órgão da SAA), Márcio Aurélio Ferreira, que também é membro da Aprocorte.
Para o presidente da Aprocorte, o engenheiro agrônomo Fábio Luis Ferreira de Carvalho, o encontro é uma oportunidade para melhorar os negócios. “Queremos com o Dia de Campo fortalecer e unir a classe, para que o produtor saia do evento capacitado para aplicar em sua fazenda os conhecimentos partilhados no dia. Nosso objetivo é que a região possa produzir animais com a qualidade que os frigoríficos estão pagando”, comentou o agrônomo Fábio Luis Ferreira de Carvalho, presidente da Aprocorte.

  • Entre 2017 e 2018 as microrregiões de Guaratinguetá e Pindamonhangaba produziram um rebanho bovino de aproximadamente 562 mil cabeças
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste