Registro Cultural : EFCJ: riqueza turística e histórica da região

Por Altair Fernandes Carvalho

Agradecemos pela atenção da Estrada de Ferro Campos do Jordão, por intermédio de seu atual diretor e presidente Ayrton Camargo e Silva, que nos enviou extenso e bem elaborado relatório que presta contas e coloca em transparência as excelentes realizações daquela ferrovia no ano de 2017.

Denominada pelos pindamonhangabenses mais saudosistas de “Estradinha”, a EFCJ é para Pindamonhangaba, Campos do Jordão, demais municípios da região serrana e região, uma “estrada de ferro que é de ouro”. Sua importância, sua riqueza, vai muito além de sua finalidade como meio de transporte, assim idealizada pelos seus criadores, refiro-me também ao seu valor histórico, cultural e turístico.

Destaques nesse sentido podem ser constatados no capítulo destinado às operações especiais, ações denominadas Trens Temáticos de Turismo, uma forma que a EFCJ encontrou de “ampliar a sua interação com a comunidade, despertando interesse pelos seus serviços por meio da celebração de datas do calendário anual de efemérides”: Trem da Páscoa, Dia das Mães, Trem do Forró Junino, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Trenzinho do Papai Noel.

Concluímos nosso ‘registro cultural’ referente à ferrovia destacando seu Centro de Memória Ferroviário, espaço que exibe objetos, maquinários e documentos históricos da estrada de ferro, em exposição permanente e à disposição do público para visitas. Desde 2016 (com idêntico propósito) implantado também em Campos do Jordão, na Estação Emílio Ribas.

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste