Editorial : Férias seguras

Em janeiro, as crianças estão de férias e os pais se desdobram para ocupar a mente e o corpo dos pequenos. Mas além de proporcionar momentos de diversão e alegria, os pais devem também estar atentos para evitar que os filhos se acidentem.
Estima-se que no Brasil ocorrem cerca de 200 mil acidentes domésticos com crianças, como queimaduras, quedas e afogamento. Entretanto, nas férias escolares este índice aumenta em 25%.
Entre os acidentes mais comuns estão os choques. Os pais devem orientar as crianças a manterem distância das redes elétricas, não permitindo, por exemplo, que elas subam em árvores que estejam próximas à fiação.
Dentro de casa, não se deve manusear aparelhos elétricos com os pés descalços e molhados, já que água é condutora de energia.
Em espaços fechados, é preciso evitar deixar fios e extensões expostas e deve-se manter tomadas sem uso tampadas e isoladas.
A criança jamais deve ser deixada sozinha, principalmente em praias, piscinas, rios e cachoeiras ou ainda em locais com janelas ou varandas sem rede de proteção.
Certamente, o período das férias deve ser um momento de convivência entre pais e filhos e de muitas brincadeiras. Mas é mandatório que um adulto sempre supervisione as crianças, seja em casa, na rua, em parques ou em qualquer outro lugar.

Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste