Pindamonhangaba “urra” em Minas Gerais, com espetáculo alternativo

Apresentação “Urrou” conquista 13 prêmios no “2º Fofocarte – Festival de Artes de Barroso”

Colaborou com o
texto: Dayane Gomes

O som característico do boi, figura totêmica do folclore brasileiro, é o urro. Assim como a poesia, a inspiração artística pode ser extraída de toda e qualquer manifestação cultural. E foi, justamente, da representação empoderada do boi que Mônica Alvarenga, atriz e dançarina pindense, se permitiu a corporação do animal na técnica de Laban. A entrega performática culminou no espetáculo “Urrou”, selecionado para vários festivais pelo Brasil e premiado em 13 categorias da última edição do “Fofocarte – Festival de Artes de Barroso”.
De acordo com a autora, a peça tem como base de pesquisa e desenvolvimento a expressão popular do “Bumba Meu Boi” e sua ancestralidade, suas raízes egípcias. A inscrição para o processo de seleção no evento barrosense foi realizada via internet, com envio de vídeo. Assim, foram selecionadas exibições de grupos de São Bernardo do Campo, Jundiaí, Mariana, Conselheiro Lafaiete, Juiz de Fora, entre outras cidades, nas categorias: “Drama”, “Comédia”, “Infantil” e “Alternativo”. “O nosso espetáculo, eu inscrevi como ‘Alternativo’, pois mesmo sendo apresentado em palco italiano, é uma apresentação alternativa, em que o público se senta no chão diretamente no palco comigo”, explicou a responsável pela Cia. Mônica Alvarenga.
A pindense é criadora da apresentação e conta com o apoio de familiares e de amigos como equipe de produção. O marido, Ederson Cleiton, é responsável pela direção e pelo cenário; sua amiga Elisa Monteiro consiste em sua maquiadora e sonoplasta; sua preparadora vocal, Emile Mourão, e a Escola Satori de Música e Arte estão a cargo da mixagem de músicas; e as costureiras Celi Lopes e Joanna D’arc, sua mãe, colocaram a mão na massa para confecção do figurino.
O espetáculo foi criado em três meses e estreado em março deste ano, na Sala Pulsare em São Paulo. Além do mais, foi selecionado para o: “13º Festival de Artes Cênicas de Jacareí (SP)”, “7º Face – Festival de Artes Cênicas Bauru (SP)”, “IX Mova-se – Festival de Manaus (AM)”, “II Mostra Viva de Artes de Pilar do Sul (SP)” e “V Festa – Festival Internacional de Teatro de Araçuaí (MG)”. E convidado para o “21ºFestil – Festival de Teatro Estudantil”.

“’Urrou’, atualmente, é o que me move, tanto quanto artista, como docente e pessoa. Ele é um filho para mim. Resolvi seguir o conselho de uma pessoa e estou investindo nele e estou sendo muito feliz!”

– Mônica Alvarenga

 

Até que, no encerramento do festival, no dia 21 de outubro, a Cia. Mônica Alvarenga pisou no tablado com o “Urrou”. Mais tarde, no mesmo dia, vieram as premiações:

• Melhor Atriz na categoria “Alternativo”
• Melhor Atriz do Festival
• Melhor Trilha Sonora na categoria “Alternativo”
• Melhor Trilha Sonora do Festival
• Melhor Direção na categoria “Alternativo”
• Melhor Cenário na categoria “Alternativo”
• Melhor Cenário do Festival
• Melhor Sonoplastia na categoria “Alternativo”
• Melhor Sonoplastia do Festival
• Melhor Figurino na categoria “Alternativo”
• Melhor Figurino do Festival
• Melhor Espetáculo na categoria “Alternativo”
• 3º Melhor Espetáculo do Festival

  • Produção do espetáculo está nas mãos de amigos e de familiares
  • Boi é inspiração de corporação da protagonista
  • Mônica Alvarenga se apresentou no último dia do evento
  • Mônica Alvarenga, Ederson Cleiton e Elisa Monteiro receberam troféus
  • Exibição participou da categoria “Alternativo” por contato com o público
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste