Vanguarda Literária : RIMBAUD: GENIALIDADE E PRECOCIDADE

Por José Valdez de Castro Moura

Jean-Nicolas Arthur Rimbaud (RIMBAUD) nasceu em Charleville (França ) em 1854, foi considerado um gênio precoce, revelando talento poético desde a adolescência . Instavél emocionalmente, fugiu de casa várias vezes. Com o apoio do poeta e mestre Verlaine foi viver em Paris aos 17 anos de idade, e, com ele teve uma relação de amor e ódio, sendo, por este ferido com uma bala no pulso. Ansiava ser a personificação da poesia, e, segundo críticos, nem bem havia completado 21 anos já era famoso, abandonou a literatura, contudo, desperta grande interesse até os dias atuais. Influenciou poetas do naipe de Ernest Hemingway, Ezra Pound e Scott Fitzgerald. No Brasil, seu grande admirador foi o poeta paranaense Paulo Leminski . Entre as suas obras principais estão : “Uma Estação no Inferno (1873) e “Iluminação”. Chama a atenção, nos seus escritos, a sua linguagem libertária, incomum. Abandonou a literatura , fato já citado anteriormente, e retomou sua vida errante que levava no início da vida. Trabalhou em comércio, fez parte do exército, andou pelo Chipre e Alexandria. Faleceu em Marselha, na França, em 1891.
Para o escritor Edmund White, que publicou “A VIDA DUPLA DE UM REBELDE” traduzida no Brasil por Marcos Bagno (Editora Companhia das Letras) RIMBAUD escreveu o poema abaixo, considerado o mais famoso da língua francesa :

SENSATION (Sensação )

Par les soirs bleus d’été, j’irai dans les sentiers,
(Pelas tardes azuis do verão, eu irei pelas sendas)
Picoté par les blés, fouler l’herbe menue:
(Guarnecidas pelo trigal, pisava a herva miúda)
Rêveur, j’en sentirai la fraîcheur à mes pieds.
(Sonhador, sentirei a frescura em meus pés)
Je laisserai le vent baigner ma tête nue.
(Deixarei o vento banhar minha cabeça nua)
Je ne parlerai pas, je ne penserai rien,
(Eu não falarei, eu não pensarei)
Mais l’amour infini me montera dans l’âme;
(mas, um amor infinito me invadirá a alma)
Et j’irai loin, bien loin, comme un bohémien,
(E, eu irei longe, bem longe, como um boêmio)
Par la Nature, heureux- comme avec une femme.
Pela natureza , feliz como uma mulher.

RIMBAUD, com sua bela Poesia atravessou os tempos. Nas redes sociais permanece citado em mais de seis milhões de “links” pelo mundo inteiro. Os mitos permanecem vivos!!!

  • Jean-Nicolas Arthur Rimbaud morreu aos 37 anos
Desenvolvido por CMC Multimídia
Tamanho da fonte
Modo Contraste